Publicado em

Inovar Podcast 11 – Pensando fora da caixa

Reproduzir

Sejam bem vindos ou bem vindas ao Inovar Podcast número 11, um podcast que tem como maior objetivo o seu bem estar, aliás, o nosso bem estar.

Hoje falaremos dê: Pensar fora da caixa. Continuar lendo Inovar Podcast 11 – Pensando fora da caixa

Publicado em

Inovar Podcast 10 – Excel, Mercado de trabalho, Valor intelectual

Reproduzir

Inovar Podcast 10 – Excel, Mercado de trabalho, Valor intelectual

Chegamos ao Décimo episódio do Inovar Podcast com um convidado especial, o Paulo.

Falamos de Excel, um pouco de administração, mercado de trabalho, valor intelectual e muito mais.

Não farei a transcrição deste podcast, pois foi tudo espontâneo, gravado na hora e não tenho nada escrito registrado.

Esteve neste episódio:

  • Gledson Leitão
  • Paulo
  • Ludovico Einaudi com a música Nuvole Bianche, o interprete foi Alexander Flemming.
  • Guilherme dando o até mais no final.

Links:

Os comentário estão abertos, fique a vontade!

Publicado em

Inovar Podcast 9 – Meu carro minha dívida

Reproduzir

Vamos contextualizar:

Em maio de 2012 o governo abriu mão de uma parte do IPI, que é o Imposto sobre Produtos Industrializados, esse tributo foi criado pelo governo federal e somente ele pode legislar a respeito.

Com a baixa do IPI os valores dos carros baixaram um pouquinho, isso já foi o suficiente para que muitos brasileiros comprassem um carro zero quilometro, foi a realização de um sonho para muitos brasileiros que acreditaram estar fazendo um ótimo negocio, assim hoje não existe espaço para o carro em grande parte de nossas cidades. Estacionamento mais caro que a prestação de um carro zero quilômetro não é difícil de encontrar, novamente quem paga a conta do mal planejamento governamental somos nós..

Em 01/01/2015 o valor do IPI subiu novamente e está com os seguintes valores:

Para carros populares, com motor 1.0, a alíquota passa de 3% para 7%, que é o valor original.

Para automóveis com potência superior, o imposto passará de 9% para 11% , no caso de carros flex vai para 9% e 13% para modelos movidos a gasolina.

Com isso, o valor dos veículos passou a ficar mais caro novamente, significando, para os carros populares, por exemplo, um aumento entre 4 e 8% em seu valor para o consumidor final.

Fonte texto abaixo http://blog.mobills.com.br/2015/01/pensando-em-comprar-um-carro-leia-nossas-dicas/

Você realmente precisa de um carro?

Embora ter o próprio automóvel signifique comodidade, facilidade e liberdade de locomoção, muitas vezes, dependendo do seu estilo de vida, um carro não é tão necessário assim. Antes de pensar em como você vai adquirir o seu automóvel, coloque todos os prós e os contras bem definidos.

Se sua conclusão for que sim, que você realmente precisa de um carro e que pode pagar pelo seu custo, chegou a hora de se decidir pelo modelo.

A melhor forma de escolher o modelo do carro é analisando o uso que ele terá que atender. Será usado para trabalhar, visitar clientes, transportar as crianças à escola, ou seria um segundo carro? Para cada uma dessas necessidades existe um modelo de carro adequado, que não precisa necessariamente ser luxuoso ou dispendioso. Pesquise bem as opções!

Cuidado com os vendedores de carro

Vendedores tem metas, objetivos e recebem comissões por cada venda que fazem, então esteja certo que eles serão altamente persuasivos com você, fazendo você se sentir péssimo e pouco esperto se não comprar o carro que ele “indicar”.

Leve alguém que tenha bons conhecimentos sobre carros e peça opinião de varias pessoas. Não tenha pressa na compra, o tempo pode ser um bom aliado.

Financiar não é a única opção

Geralmente, quem compra um carro não levanta de um dia para o outro dizendo para si mesmo: “Chegou a hora, vou comprar um carro hoje”. É uma decisão tomada depois de vários dias de reflexão. Se você não precisa do carro imediatamente para algo muito urgente, considere a hipótese de esperar mais alguns meses, juntando todo o dinheiro possível para dar uma boa entrada nele ou, quem sabe, pagar à vista.

Financiamentos são extremamente carregados de juros, que transformam as parcelas de pequenas e amigas a enormes inimigas, comprometendo muito mais do seu orçamento do que você se dispôs a pagar inicialmente. Se possível, evite. Principalmente os financiamentos oferecidos pelas próprias concessionárias, que são práticos, rápidos e vantajosos… para elas!

Quem tem carro, tem gastos

Agora sim vamos entrar no assunto principal deste podcast, vamos falar dos gastos pós compra.

Se você acha que as passagens de ônibus são caras, que taxi é um valor absurdo, prepare seus ouvidos que vou começar a destrinchar os gastos de um veículo.

A primeira coisa que falarei é sobre gastos com combustível.

Isso parece obvio, mas muitas pessoas quando estão escolhendo um carro não sabem qual o consumo do modelo escolhido. Dependendo do modelo a diferença é enorme, principalmente se o carro for muito usado no dia a dia.

Pare pra pensar, se você gasta 200,00 reais por mês com ônibus não pense que com o carro você gastará menos. Um opção caso queira economizar é uma moto, mas moto não é o foco deste podcast.

Para ilustrar o que estou falando vou citar valores:

No ano de 2014 eu gastei aproximadamente 2.300,00 reais somente com combustível.

E olha que no ano passado eu alternei o uso do carro com uma moto, pois na época eu tinha os dois.

Você acha que esse valor é porque meu carro é luxuoso! Negativo! Meu carro é um fiat siena 1.0.

Meu carro faz em média 12 quilômetros por litro.

Tem modelos que fazem apenas 6 quilômetros por litro, sentiu a diferença?

Não se espante, estamos apenas no começo.

O que é e como é calculado o IPVA?

O Imposto sobre Propriedade de Veiculo Automotor, IPVA, é calculado com percentuais diferentes em cada estado, o calculo é feito com base no valor do veículo na tabela FIPE.

Em determinadas regiões a alíquota para carros de passeio, por exemplo, pode ser de 4%, enquanto que em outras um automóvel com mesmas características tem alíquota de 2%.

A Tabela Fipe – Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas indica os valores dos veículos novos e usados, de todas as marcas e modelos. A tabela é utilizada pelos governos estaduais para base de cálculo do imposto.

Para se chegar aos valores da tabela são considerados os preços médios dos veículos das várias regiões do país e com diferentes características, como estado de conservação, cor, tipo de pintura e itens acessórios ou opcionais.

O calculo pode ser feito em uma calculadora comum, bastando digitar o valor do veículo, multiplicando pela porcentagem de seu estado e para finalizar aperte a tecla de porcentagem.

Em meu estado posso conferir os débitos de IPVA e multas no site do detran estadual, acredito que em seu estado seja da mesma forma.

“Na transcrição do podcast você encontra uma tabela com os valores cobrados em cada estado.”

Confira abaixo a alíquota do IPVA de cada estado.

SulRio Grande do Sul: 3%

Santa Catarina: 2%

Paraná: 2,5%
Sudeste

São Paulo: 3% e 4%

Rio de Janeiro: 4%

Minas Gerais: 4%

Espírito Santo: 2%
Distrito Federal: 3%

NordesteBahia: 2,5% e 3,5%

Sergipe: 2%

Alagoas: 2,5%

Pernambuco: 2,5%

Paraíba: 2%

Rio Grande do Norte: 2,5%

Ceará: 2,5%

Piauí: 2,5%

Maranhão: 2,5%

NorteTocantins: 2%

Pará: 2,5%

Amapá: 3%

Amazonas: 3%

Roraima: 3%

Rondônia: 3%

Acre: 2%
Centro-Oeste

Mato Grosso: 3%

Mato Grosso do Sul: 2,5%

Goiás: 2,5 e 3,75%

Fonte da alicotas: http://www.carrosnaweb.com.br/ipva.asp

Quais outras taxas e tributos são cobrados?

Vou citar algumas, mas elas podem variar de acordo com seu estado.

Seguro Obrigatório. DPVAT

O Seguro Obrigatório de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres, ou por sua Carga, a Pessoas Transportadas ou Não (conhecido como DPVAT) tem a finalidade de amparar as vítimas de acidentes de trânsito em todo o território nacional, não importando de quem seja a culpa dos acidentes. O DPVAT é um seguro destinado exclusivamente a danos pessoais (morte e invalidez permanente e despesas de assistência médica) não prevendo cobertura de danos materiais causados por colisão, roubo, furto de veículos ou incêndio de veículos.

Para receber o DPVAT, não é necessário um intermediário para dar entrada no pedido de indenização. Há seguradoras consorciadas em todo o Brasil e também agências dos Correios para receber as vítimas de trânsito. Basta apresentar os documentos na seguradora ou agência dos Correios que faça atendimento do Seguro DPVAT no prazo de três anos a contar da data da ocorrência do acidente.

O pagamento da indenização é feito em conta corrente ou poupança da vítima ou de seus beneficiários, em até 30 dias após a apresentação da documentação necessária. O valor da indenização é de R$ 13,5 mil no caso de morte e de até R$ 13,5 mil nos casos de invalidez permanente, variando conforme o grau da invalidez, e de até R$ 2,7 mil em reembolso de despesas médicas e hospitalares comprovadas.

Pagamento rateado do DPVAT

Os recursos do Seguro DPVAT são financiados pelos proprietários de veículos, por meio de pagamento anual. Do total arrecadado, 45% são repassados ao Ministério da Saúde, para custeio do atendimento médico-hospitalar às vítimas de acidentes de trânsito em todo país. Outros 5% são repassados ao Ministério das Cidades, para aplicação exclusiva em programas destinados à prevenção de acidentes de trânsito. Os demais 50% são voltados para o pagamento das indenizações.

Fonte: http://economia.terra.com.br/direitos-do-consumidor/por-que-pagar-um-seguro-se-ja-pago-todo-ano-o-dpvat,316c57a179e6b410VgnVCM4000009bcceb0aRCRD.html

Existem outras taxas que vou citar sem detalhar muito:

Taxa dos Bombeiros.
Taxa de licenciamento.
Taxa de manutenção e conservação de vias.

Não se esqueça das multas, caso receba alguma vão querer que sejam pagas junto com as outras taxas. Em seu estado pode até existir outras.

Qual o consumo médio de um carro?

Não vou citar o consumo médio de um carro, pois isso vai depender de vários fatores. Como por exemplo, Modo de condução do veículo, conservação de peças, conservação e material usados na estrada, tipo de combustível, calibração dos pneus, entre tantos outros fatores.

Mas na transcrição do podcast deixo um link para um arquivo em .pdf com o consumo de carros de 36 marcas e 583 modelos diferentes.

Link com o comsumo de 36 marcas e 583 modelos de carros.
http://estaticog1.globo.com/2015/01/20/veiculos_leves_2015.pdf

E a manutenção do veículo?

Vou usar novamente o meu exemplo para citar os gastos com manutenção.

No ano de 2014 gastei 550,00 com troca de óleo, e algumas peças. Mas não use esse valor como parâmetro, pois já no começo de 2015 gatei 410,00 com um conserto na parte de embreagem.

E ainda tenho que alinhar e balancear as rodas, e talvez trocar pneus.

Como é calculado o valor de venda de um carro novo no Brasil?

Para ajudar na resposta desta pergunta deixo um artigo do Canal do Otário na transcrição deste podcast.

Lá você encontrará uma resposta bem clara e objetiva sobre o tema, e se ainda não conhece o Canal do Otário recomendo que conheça e acompanhe. É uma iniciativa espetacular que já me ajudou bastante.

Visite – www.canaldootario.com.br

http://www.canaldootario.com.br/blog/por-que-o-carro-no-brasil-e-tao-caro/

Você não é dono do seu carro! Sabia?

Agora vou lhe trazer algo para pensar.

Se você aluga algo e não paga o aluguel, o objeto alugado pode ser tomado de você por falta de pagamento.

Resumindo, o aluguel é uma contraprestação que você paga para usar algo que não é seu. Correto!

Agora se você vem andando em (abre aspas) “seu carro” (fecha aspas), e é parado em uma blits o guarda verifica que o pagamento do IPVA está atrasado e seu carro é recolhido.

Mas o carro não é do governo, como é que ele toma o carro assim, como se fosse o dono?

Bom, acredito que da forma como está, você paga uma concessão, um aluguel para usar o carro, o carro na verdade é do governo, e o pagamento das taxas é um aluguel com outro nome.

Quanto eu gasto mensalmente com meu carro.

Novamente usando o meu caso como exemplo gastei no ano de 2014 em média 744,00 reais por mês só com o carro. Totalizando 8.927,59, fora o que esqueci de registrar na planilha que uso para gerenciar minhas finanças.

Neste valor está incluído a compra dele, pois tomei um empréstimo para compra-lo e ainda estou pagando.

Duas observações:

Primeiro o carro comprado foi usado, e não novo, se fosse um carro novo acredito que estaria pagando bem mais com prestação e por um período bem maior.

Segundo, ninguém tem a vida igual a ninguém, então o valor para você com certeza será diferente deste que mencionei.

PROMOÇÃO

Para esta edição do Inovar Podcast preparei algo especial.

A primeira pessoa que comentar no post deste podcast, lembrando que está é a edição de número 09 ganhará a Planilha de controle financeiro pessoal gratuitamente, já as demais poderão adquirila com desconto especial, para ter acesso ao desconto basta acessar a transcrição deste podcast no site e lá o código de desconto estará disponível.

 

O código de desconto é – PODCAST
Além do primeiro a comentar também darei a planilha para o melhor comentário que será escolhido por mim e pela Camila.

Link da promoção – http://inovar.net/produto/planilha-de-orcamento-pessoal-e-familiar-versao-11/

Abaixo vídeo com a música: Pra você dar o nome de 5 a Seco.

Publicado em

Inovar Podcast 08 – Criando um orçamento e controlando as despesas

Reproduzir

Inovar Podcast 08 – Criando um orçamento e controlando as despesas.

Sejam bem vindos ou bem vindas ao Inovar Podcast, um podcast que tem como maior objetivo o seu bem estar financeiro, aliás, o nosso bem estar financeiro.

Hoje falaremos dê: Criar um orçamento e controlar as finanças.

  • Vou conceituar o que é orçamento.
  • Vou trazer dicas para criar e manter o seu orçamento em dia.
  • Vou falar o que um orçamento financeiro pessoal tem que ter para ser um orçamento eficiente.
  • Vou trazer dicas para implantar um orçamento para a família.
  1. O que é orçamento pessoal?

Simplesmente um plano para ajudar a determinar e controlar os gastos e ganhos, verificando onde eles podem ser cortados ou diminuídos. O objetivo final é sobrar dinheiro e controlar como andam as coisas.

O orçamento pode ser usado para planejar uma compra especifica, e é comumente usado para verificar se podemos ou não realizar algo.

Alguns especialistas e educadores financeiros defendem que o orçamento e o planejamento financeiro deve ser constante, já outros defendem que ele deve ser esporádico.

Eu por exemplo realizo o meu planejamento de forma permanente, mas daqui a algum tempo pretendo deixa-lo esporádico.

Como elaborar um planejamento financeiro.

O primeiro passo é o registro de tudo, mas tudo mesmo. Dinheiro que entra e principalmente o que saí, aviso logo que essa tarefa não é fácil e no começo muita coisa fica sem ser registrada por esquecimento.

Se você é casado ou casada ou mais de uma pessoa gasta do seu dinheiro, essa tarefa fica ainda mais complicada e nessa hora o dialogo e parceria são grandes aliados.

Alias, se quer implantar um orçamento e consequentemente um planejamento financeiro a primeira coisa a ser feita é identificar quem fará parte deste planejamento, pois somente cortar gastos pode não resolver o problema do dinheiro e ainda criar outros problemas e desentendimentos.

Reúna os envolvidos e converse explicando o que pretende e como pretende fazer para registrar todos os gastos e ganhos. Nesta fase recomendo que seja transparente informando que depois do raios X Financeiro poderá ocorrer mudança nos hábitos de consumo.

Para a tarefa de registro dos gastos recomendo uma coisa bem simples, que qualquer um pode realizar. Anote em uma folha a data, a descrição, o valor e a forma de pagamento, não esqueça da forma de pagamento e descrição. Mais adiante falarei o porque essas informações são importantes.

Para lhe ajudar nesta parte da empreitada deixo um link em meu site onde você pode baixar e imprimir um modelo pra registro de gastos. É assim que registro os dados do meu consumo.

Visite o meu site, inovar.net e procure pela transcrição deste podcast, essa é a edição número 8, Orçamento e controle financeiro.

Vamos recapitular..

Você já conversou com as pessoas que usam do dinheiro que será administrado através do orçamento e explicou seus objetivos,e  não esqueça de ouvi-los também.

Registrou todos os gastos e ganhos naquela folhinha que eu indiquei.

Então chegou a hora do próximo passo, chegou a hora de colocar a mão na massa.

Até agora você apenas juntou dados que soltos não dizem quase nada, precisamos agora organizar os dados para que possam ser lidos e interpretados de forma simples, organizada e que lhe mostre exatamente para onde vai seu dinheiro.

Um orçamento tem que lhe dar as seguintes informações.

  • Quanto ganhei.
  • Quanto gastei.
  • Onde gastei.

Bom essa parte do onde gastei é de imensa importância, pois analisando para onde foi o dinheiro é que podemos decidir se foi bem ou se foi mal gasto.

Agora eu vou fazer o meu comercialzinho, apresentando a planilha em excel que eu mesmo desenvolvi e uso a uns 4 anos, mas você deve usar a ferramenta que desejar. existem aplicativos para celular, programas para computador entre outros.

Eu escolhi criar  e usar uma planilha em excel para que ela atenda as minhas necessidades de forma personalizada, nela coloquei gráficos, orçamentos por categorias, simplifiquei ao máximo e não cinto falta de nada e quem a tem não reclama.

Você pode ter mais detalhes sobre essa planilha no meu site. Inovar.net

Eu faço da seguinte forma: Pego a folhinha com os dados que anotei, abro a planilha e registro em um único local as seguintes informações.

Data, Categoria, Subcategoria, Descrição e o valor. E se a compra foi no cartão escolho qual o cartão usado. É só isso, não faço mais nada. A parte chata que é agrupar e organizar os gastos por categoria, subcategoria, mês, ano, criar gráficos, somar os valores, tudo é automático, só me resta ler as informações organizadas e analisar como anda as minhas finanças.

Basicamente é essa a função do orçamento. Me dar as informações que preciso para que eu realize o planejamento financeiro.

No começo como eu mencionei antes, você vai esquecer de anotar, vai dar preguiça de registrar. Mas se você persistir não irá se arrepender.

Quando analisar os gastos ao final de um mês você irá se surpreender e pensar. – Eu não gastei tanto assim com isso não!

Você chegará a pensar que registrou algo errado. Mas a verdade é que gastamos sem nem perceber. E se tiver alguma dúvida verifique nas descrições dos gastos e você vai se lembrando em que gastou. É por isso que recomendo que se registre a descrição do gasto, pois no futuro você não vai lembrar com o que gastou, mas que gastou, gastou!

Reúna a família novamente, abra a planilha ou a ferramenta que estiver utilizando e analise em conjunto com eles as informações apresentadas, decidindo onde, e em quê reduzir ou mesmo cortar os gastos.

Tente não acusar ninguém de gastador, mas mostre que algo pode ser feito para reduzir e melhorar a saúde financeira.

Se perceber que alguém anda exagerando nos lanches fora de casa por exemplo, tente achar alternativa mais baratas para substituir o gasto. O mais importante nesse momento é criar uma consciência de que o dinheiro é limitado, e que cada um pode cooperar para melhorar a situação.

Se você ainda não ouviu recomendo ouvir a edição número 7 do inovar podcast onde falo sobre classificar gastos para escolher quais reduzir ou mesmo cortar.

 PUBLICIDADE

Conheça a planilha de controle financeiro pessoal, Clique aqui.

 CONSIDERAÇÕES FINAIS

Gostou deste podcsat? Aproveite e comente, seu comentário é muito importante para mim.

 COMENTADOS NO PODCAST.

Planilha de controle financeiro pessoal. Clique aqui.

Modelo de planilha para Apontamento de despesas. Apontamento de despesas (1).

Publicado em

Inovar Podcast 07 – Classificando e reduzindo gastos

Reproduzir

Como classificar e reduzir gastos

Neste Podcast falarei sobre classificar os gastos com o intuito de reduzi-los ou mesmo cortá-los.

Quando aumentar a renda não aumentar seu padrão de vida (Gastos).

Realize um planejamento e não compre supérfluos.

Não desconsidere os pequenos valores.

Dinheiro gasto que não vemos sair:

  • Televisão ligada sem ninguém assistindo.Televisão no stand by.
  • Computador ligado sem ninguém usar, ou a noite inteira para fazer downloads.
  • Torneira e chuveiro pingando. Banho prolongado.
  • Lâmpadas acesas quando há a luz do sol. Lâmpadas incandescentes. Dormir com a luz acesa.
  • Ir de carro para onde se pode ir a pé.
  • Abrir a geladeira a todo o momento, ou abri-la pra ficar pensando na vida.
  • Tv a cabo com pacotes de canais que você nem assiste.

Outros exemplos de gastos.

Assinatura de revistas e jornais, Comprar produtos pela marca, Pagar as contas antes do vencimento,

Na prática: O que é obrigatório?

Fixo Variável
Aluguel Luz, gás, mercado, água

 

O que não é obrigatório

 

Fixo Variável
Academia restaurante
Assinaturas de jornais, tv, etc comer fora

 

Comentado nesta edição, agradecimentos e dicas:

Agradecimento especial ao Rafael Oliveira do site e podcast elite 42 onde eu participei do podcast número 11 – Site: http://elite42.com.br/

Fabrício Soares do site Promontório estério (http://promontorioesteril.com.br/), em especial o podcast sobre Euclides da Cunha.

Site da Camila – http://camilalucena.com.br

Publicado em

Inovar Podcast 06 – Presentes orçamento e dicas

Reproduzir

Hoje falarei um pouco sobre presentes de natal e fim de ano, mas se aplica a qualquer data comemorativa.

Um passo necessário antes de qualquer compra, gasto extra ou mesmo imprevistos é consultar o orçamento para que a tomada de decisão seja acertada e o impacto financeiro no orçamento se torne o menor possível. Assim vamos abordar esse assunto trazendo um olhar analítico sobre o presentear.

No Podcast na parte de Dicas foi citado a impressora laser, a que uso é essa HP Laserjet P1102w, até então tem me servido bem.

Espero que a qualidade do áudio tenha melhorado, dei uma pequena atualização no equipamento que uso e por conta disso esse podcast não ficou bem trabalhado pois o equipamento chegou em cima da hora, o próximo estará da forma e com a qualidade que desejo.

Publicado em

21 Dicas para lançar um Podcast

Esse artigo é uma tradução livre do artigo original do site http://incomeschool.com/, você pode ler o artigo original clicando aqui.

Se você desejar acrescentar algo peço que visite o Fórum http://inovar.net/forum/index.php/topic,33.0.html e publique lá sua sugestão.

21 Dicas para lançar um Podcast

Eu dediquei uma quantidade enorme de tempo escrevendo este artigo para que ele seja verdadeiramente útil para você. Eu desejo que todas as informações sejam práticas e usáveis.

Aproveite as dicas, eles me ajudaram a gerar mais de meio milhão de dólares em receita durante o primeiro ano de meu podcast (embora não o primeiro ano do meu site). Continuar lendo 21 Dicas para lançar um Podcast

Publicado em

Policial Podcast 01 – Uma das piores sensações que senti

Reproduzir

logo-policial-podcast-rss

Episodio piloto do Policial Podcast.

 

Detalhes:
Tempo do episodio – 19:27
Tamanho do episodio – 13.6
Gênero – Historia Policial
Autor – Gledson Leitão
Voz – Gledson Leitão
Edição – Gledson Leitão
Músicas de fundo:
The Escalation. Compositor Kevin MacLeod.
Day of Chaos. Compositor Kevin MacLeod.
Hush. Compositor Kevin MacLeod.

Feed do Policial Podcast – http://inovar.net/categoria/policial-podcast/feed/

Se tiver alguma dúvida, sugestão ou critica, entre em contato pelo formulário indicado na parte superior do site.

Publicado em

Inovar Podcast 05 – Repercussão Financeira

Reproduzir

Inovar-Podcast-destaque-ep05

Hoje falaremos sobre a repercussão financeira, realizarei alguns cálculos e darei algumas dicas sobre como calcular os gastos futuros de uma compra ou mesmo de uma venda, afinal repercussão financeira é a consequência de uma compra, de uma venda ou mesmo da inércia.

Quando compramos, quando vendemos, quando não fazemos nada, enfim em tudo temos alguma consequência e quando se trata de dinheiro não é diferente.

Se compramos temos uma consequência, se vendemos também temos consequência e quando não realizamos nada temos outra consequência. Então para tomarmos uma decisão temos que ter algumas informações a respeito da decisão que precisamos tomar.

Para cada caso precisamos de informações diferentes para a tomada da decisão, então chegamos ao ponto onde antes precisamos buscar as informações.

Para ilustrar vou criar um exemplo bem comum nos dias atuais, vamos refletir sobre se devemos ou não comprar um carro. E para isso temos que seguir alguns passos antes da decisão.

1 –Primeiro avalie se de fato você precisa do carro, ou se simplesmente quer um carro porque outras pessoas tem. O carro é de fato uma necessidade ou ele é um capricho?

Se for um capricho já chegamos ao veredito, não compre o carro, mas se é uma necessidade vamos continuar estudando o caso.

2 – Agora vamos coletar os dados que temos, por exemplo o quanto você e as pessoas que irão usar o carro gastam com ônibus ou outro meio de transporte que será substituído pela compra almejada, no caso o carro.

Digamos que em média você gasta 300,00 reais com ônibus e mais 50,00 com taxi. Temos o total de 350,00, guarde esse valor.

3 – Você está preparado para receber o carro, tem estrutura caso realizar a compra? Tem garagem ou vai ter que alugar uma? você não tem a garagem então vai alugar ou vai contruir uma? Analisado isso tenho uma pergunta muito importante. Qual o custo da sua decisão?

Se você já tem a garagem o custo é zero.

Se você decide construir uma garagem o custo será de quanto? Vou colocar um valor baseado em minha experiência aqui em casa, o custo comigo foi de aproximadamente 4.000,00 reais, vamos usar esse valor em nosso exemplo. Anote-o também.

Vamos também anotar o valor do aluguel de uma vaga em garagem para ajudar na decisão final. Vamos colocar o valor de 150,00 reais de aluguel.

4 – Então digamos que você decide comprar o carro, como se daria a compra? A vista ou por meio de um financiamento?

Se for a vista some o valor do carro ao valor gasto com garagem ou aluguel de garagem e você terá como repercussão financeira o valor gasto mensalmente com combustível, manutenção, impostos e seguro.

VAMOS CALCULAR

Vamos colocar 150,00 de combustível.
Mais 80,00 de manutenção
Mais 60,00 de Impostos e taxas
Acrescente mais 100,00 de seguro.

Temos o total de 390,00 para manter o carro, e aqui não incluí pneus.

Agora vamos supor que o carro seja financiado e a prestação seja de 530,00 por 36 meses. Isso significa que durante esse tempo somente com o carro você gastará 530,00 com prestação, mais 390,00 com manutenção, totalizando 920,00 somente com o carro.

Como antes da compra do carro gastávamos com ônibus e taxi o total de 350,00 devemos subtrair esse valor da nossa conta pois teoricamente não gastaremos mais depois da compra do carro. Restando o valor dê: 570,00.

Então esses 570,00 é nossa repercussão financeira em nosso orçamento.

Agora você deve se fazer as seguintes perguntas:

Você tem esse valor extra disponível em seu orçamento?
Caso você tenha esse valor sobrando em seu orçamento não seria mais correto juntar e comprar a vista o carro.

Essa forma de pensar referente a repercussão financeira se aplica não somente a esse exemplo, mas a qualquer compra ou venda que você realizar. Se você instalar um ar condicionado por exemplo em seu quarto tenha em mente que mesmo pagando a vista você terá um aumento no consumo de energia para citar um outro exemplo.

Dica da vez

Site http://mises.org.br/ e o podcast mises Brasil

O site é do instituto Ludwig Von Mises Brasil, você encontrará tanto no site como no podcast uma nova maneira de enxergar as coisas referentes a política, ao poder econimico.

Na página de sobre no site temos o seguinte:
“O Instituto Ludwig von Mises – Brasil (“IMB”) é uma associação voltada à produção e à disseminação de estudos econômicos e de ciências sociais que promovam os princípios de livre mercado e de uma sociedade livre.”

O podcast tem a apresentação do Bruno Garschagem e eu sou particularmente fan desse cara.

Publicado em

Inovar Podcast #04 – Quanto Custa

Reproduzir

Quanto Custa (a independência financeira).

Primeira música do Podcast, Elza Soares com a música A Carne. Composição de Seu Jorge. Dá o que falar e o que pensar não dá não?

Estamos novamente com o Inovar Podcast trazendo informações, entretenimento e dicas. E a novidade é que o podcast está sendo reformulado totalmente, usando um novo formato que você vai ouvir neste episodio. Espero que gostem do que preparei.

Outras novidades, artigos, dicas, downloads, e também podcasts encontra no site www.inovar.net

Neste Inovar Podcast de número 4 eu irei falar um pouco sobre o que é independência financeira, quanto custa a independência financeira, e as principais formas de alcança-la.

O que é independência financeira?

Independência financeira, de forma simplista é quando a sua renda é suficiente para atender suas necessidades sem que para isso você tenha que trabalhar. Exemplo: se seus rendimentos na poupança são suficientes para que todas as suas contas sejam pagas sem que você precise gastar do dinheiro principal, ou seja, as contas são pagas somente com os juros pagos pelo banco então você é independente financeiramente.

Quais as vantagens de se alcançar essa independência financeira?

Parar de trabalhar.
Trabalhar naquilo que você gosta, sem ter que se preocupar com o dinheiro.
Passar mais tempo com a família.
Realizar algo que faça bem e lhe deixe de bem com a vida.
Esses são alguns exemplos do que podemos fazer com a independência financeira, isso sem mencionar viagens, cursos e muito mais.

Como alcançar a independência financeira?

Muitos estudos já foram realizados, mas basicamente em qualquer lugar do mundo são quatro as principais formas de alcançar a prosperidade financeira, e de se ganhar dinheiro.

1.       Trabalhar e receber um salário.

2.       Receber Pró-labore ou retirada de dinheiro (de uma empresa)

3.       Viver de aplicações financeiras, passivamente (juros de bancos). Outros meios (aposentadoria, herança, outros)

4.       Investir ativamente. (compra e venda de coisas)

Em qualquer lugar do mundo as pessoas prosperas financeiramente ganham dinheiro de alguma dessas formas citadas ou de varias dessas combinadas.

Por exemplo tem pessoas que se aposentam ganhando dinheiro suficiente para se manter e abrem um negocio e também ganham dinheiro de lá.

Normalmente somos ensinados que trabalho não é bom, que o empregador ou empresário é um explorador, mas na verdade é no trabalho que realizamos ou pelo menos temos a oportunidade de realizar coisas legais e atender as nossas próprias necessidades.

Indicação

Vamos iniciar neste podcast um novo quadro, digamos assim. Trata-se de indicarmos algo a vocês que nos ouvem, essa indicação pode ser qualquer coisa que consideramos legais e que achamos que pode lhe ser útil também. Pode ser uma série que gostamos, um filme, um livro, um site ou qualquer coisa.

Downton Abbey

Downton Abbey é uma série de televisão britânica. A série se passa em sua maior parte em uma propriedade fictícia, localizada em Yorkshire, chamada Downton Abbey e segue os Crawley, uma família aristocrática inglesa, e os seus criados, no início do século XX, a partir de 1912. Estreou em 26 de setembro de 2010. Em 25 de fevereiro de 2012, começou a ser exibida no Brasil.

 

Indicações e links.

Downton Abbey no Netrflix

http://www.netflix.com/WiMovie/70213223?trkid=13752289